ZUMBIDO NO OUVIDO PODE SER UM PROBLEMA GRAVE?


O zumbido é uma condição que afeta muitas pessoas, causando desconforto e prejudicando a qualidade de vida. Porém, nem sempre é possível resolver com rapidez esse problema, pois suas causas são variadas, sendo necessário buscar atendimento com diferentes especialistas.

Por isso, para saber se o zumbido no ouvido pode ser um problema grave é preciso, antes de qualquer coisa, identificar a sua origem. Mas independente disso, é um sintoma que pode prejudicar muito, inclusive, a saúde mental das pessoas.

Portanto, é essencial que as pessoas acometidas pelo zumbido no ouvido busquem ajuda médica o quanto antes. Além disso, esse barulho que pode ser irritante a muitas pessoas também é chamado de tinnitus.

E para quem está na dúvida, trata-se de uma percepção sonora incômoda, assemelhando-se a sons de estalos, cliques, chiados, apitos e até mesmo parecidos com barulho de uma cachoeira ou de uma cigarra. Também podem ser bem leves ou mais intensos.

Há pessoas que ouvem o zumbido no ouvido só quando estão no silêncio. Mas há quem ouve o barulho de forma tão intensa que o acompanha ao longo de todo o dia. Além disso, o zumbido pode persistir durante anos, tornando-se de modo gradativo mais alto e frequente.

Causas do zumbido no ouvido

Conforme levantamento da Associação Americana de Zumbido, estima-se que 20% dos indivíduos, em todo o mundo, convivem com o zumbido no ouvido, sendo que a porcentagem aumenta para 25% depois dos 70 anos. Quanto às causas, como foi dito, são variadas.

Mesmo assim, é possível indicar que, entre as principais razões, estão os danos causados ao ouvido, em especial, por hábitos como o de ouvir música muito alta, inclusive, com fones de ouvido. O mesmo acontece devido aos ruídos, como no ambiente de trabalho.

Porém, infecções do ouvido, traumatismos na cabeça e intoxicação por remédios são alguns dos demais motivos. Até mesmo o envelhecimento pode levar ao zumbido. Isso porque com o passar dos anos a pessoa pode sofrer perda auditiva, sendo esse fator associado ao aparecimento do zumbido.

De qualquer forma, independente da causa, o mecanismo para o seu surgimento é semelhante. Os fatores de risco para o problema, ao menos os fatores fisiológicos, levam a falhas na vascularização do ouvido, deixando a passagem de sangue insuficiente.

Com isso, as células têm acesso a uma menor quantidade de oxigênio e são nutridas de modo inadequado. Isso acaba por atrapalhar o metabolismo da região. Já a depressão, outra causa do zumbido, é explicada por conta das alterações que provoca nos neurotransmissores.

Outras razões para o zumbido no ouvido são:

Cera acumulada no ouvido

O acúmulo excessivo de cera nos ouvidos, o chamado cerúmen, atrapalha o trabalho das células auditivas, podendo levar ao zumbido. Esse acúmulo pode acontecer devido ao uso do cotonete e ao próprio envelhecimento, quando a produção de cera é maior.

Alterações na anatomia do ouvido, com as quais a pessoa já nasce ou adquire por causa de infecções frequentes de ouvido e traumas são outras causas do cerúmen.

Uso de medicamentos

Alguns remédios são considerados tóxicos para o ouvido, entre eles, os que possuem ácido acetilsalicílico, como o AAS, além de anti-inflamatórios, quimioterápicos, antibióticos e diuréticos. Isso porque eles prejudicam a irrigação sanguínea no ouvido.

Doenças cardiovasculares

Arteriosclerose, AVC e hipertensão são doenças cardiovasculares que podem levar ao zumbido no ouvido. Elas também atrapalham a irrigação dos vasos sanguíneos do ouvido.

Dores no pescoço

Pessoas que sofrem de dor cervical, na região do pescoço, principalmente, quando causadas por ansiedade e tensão, podem provocar o zumbido no ouvido. Isso acontece porque essa dor libera substâncias estimulantes para atenuar o problema.

Por outro lado, essas mesmas substâncias estimulam as vias auditivas, o que pode desencadear o zumbido.

Diabetes

O elevado nível de insulina é mais uma das causas do zumbido no ouvido. A explicação é que o diabetes prejudica os estímulos elétricos das vias neurais, que são responsáveis por enviar as informações do ouvido para o cérebro.

Outros problemas de saúde:

•  Inflamações no ouvido, como labirintite;

•  Tumores no cérebro ou no ouvido;

•  Distúrbios no metabolismo, entre eles, colesterol alto e alterações da glicemia;

•  Alterações hormonais, como os distúrbios da tireoide;

•  Alterações na articulação temporomandibular – ATM.

Café

Essa bebida apreciada por tantas pessoas também pode estar associada com o zumbido no ouvido. Afinal, o café é estimulante, por conta da cafeína e, por isso, aumenta a intensidade da atividade das células auditivas.

Isso pode causar a lesão das células e, por consequência, o sintoma. Vale lembrar que muitos chás, como o verde e o preto, também possuem cafeína.

Depressão e ansiedade

Essa doença pode provocar o zumbido porque alterar os níveis dos neurotransmissores responsáveis pela audição e as estruturas ao redor dos ouvidos. Por consequência, pode haver espasmos nos músculos do ouvido e mesmo a pulsação dos seus vasos sanguíneos.

O mesmo pode acontecer com quem sofre de algum distúrbio de ansiedade.

Como tratar zumbido no ouvido 

Quando o zumbido no ouvido é provocado pela perda auditiva, o problema acontece porque o sistema responsável pela audição procura compensar a falta de estímulo auditivo com o zumbido. Já para saber o melhor tratamento para o problema é preciso consultar um médico.

Os aparelhos auditivos são um dos tratamentos quando a razão do zumbido é algum grau de surdez. Nesse caso, os dispositivos funcionam com o que se chama de terapia sonora individualizada.

Ela consiste em permitir ao paciente optar por sons pré-definidos, bem como por alguns sons de natureza para aliviar os incômodos do zumbido. Esse tratamento tem o objetivo de fornecer sons adicionais para o ouvido se focar e o barulho irritante ser menos perceptível.

Além disso, o cérebro consegue reclassificar o som do zumbido como um som sem importância, podendo assim se misturar ao fundo.

Conforme a causa do zumbido no ouvido, há outros tratamentos, entre eles:

•  Terapia de som, com a emissão de ruídos brancos para reduzir a percepção do zumbido;

•  Ansiolíticos ou antidepressivos em casos de depressão e ansiedade;

•  Remédios vasodilatadores para aumentar a circulação sanguínea do ouvido;

•  Tratamento das doenças que estão causando o zumbido;

•  Reduzir o consumo de bebidas com cafeína.



Mais de Centro Auditivo Viver