Treinamento auditivo x benefícios dos seus aparelhos auditivos


Durante uma experiência ou logo após a adaptação de seus novos aparelhos auditivos, pode ser que você estranhe ou apresente dificuldades em se acostumar com esse novo mundo sonoro. Sons que não eram mais ouvidos podem parecer fortes demais e sons que eram percebidos podem parecer diferentes. Isso acontece, pois ouvimos com a orelha, porém compreendemos com o cérebro.

Quanto mais tecnológico for o aparelho auditivo, melhor será o processamento do som, e menor será o “esforço” do cérebro. Porém, algumas pessoas podem continuar apresentando queixas, principalmente de compreensão da fala em ambientes ruidosos. Isso ocorre, pois, as habilidades auditivas no cérebro usadas nessas situações, estão prejudicadas.

Pesquisas afirmam que, pessoas idosas com perda auditiva e que não iniciam um processo de reabilitação, possuem maiores chances de desenvolver doenças ligadas ao cérebro e constatam que, a perda da audição pode acelerar o declínio das funções cerebrais em consequência de um esgotamento das capacidades mentais.

Mas o que é o treinamento auditivo?

O treinamento auditivo é uma terapia sonora, que irá “exercitar” o cérebro. Portanto, o acompanhamento do fonoaudiólogo após a adaptação dos aparelhos, é de extrema importância para avaliar as necessidades auditivas e a possível indicação para o treinamento.

Imagine uma pessoa com músculos fracos, que entra em uma academia, e começa se exercitar até ficar forte: o treinamento auditivo se assemelha a isso. O nosso cérebro é o músculo e as atividades são os exercícios. O treinamento ajuda a resgatar essas habilidades para que voltem a ser naturais e mais eficientes.

As sessões são individuais e personalizadas para as necessidades de cada paciente. Uma avaliação é realizada, e após identificar as habilidades comprometidas, um plano é traçado para o paciente. Isso ajuda a proporcionar uma regulagem mais personalizada, possibilitando uma melhora ainda mais significativa na comunicação.



Mais de Centro Auditivo Viver