Qual a importância do uso do protetor auricular?


O ruído é considerado um dos principais riscos que existe em diferentes locais de trabalho, ameaçando a qualidade de vida dos seus funcionários. Por isso, é essencial que as normas de segurança nesses lugares sejam respeitadas.

Entre elas, está o uso de protetor auricular, que pode prevenir os trabalhadores de perda auditiva parcial ou mesmo total, inclusive, no setor industrial. Esses dispositivos devem ser fornecidos pelo empregador.

No entanto, os empregados devem fazer a sua parte, utilizando os protetores auriculares de forma adequada e com a frequência necessária. Mas, para que isso realmente aconteça, é preciso compreender a razão de ter esse cuidado.

Para tanto, continue lendo este artigo. Nos tópicos a seguir, descubra qual a importância do uso do protetor auricular e obtenha demais informações relevantes sobre o assunto.

  • O que é protetor auricular
  • Tipos de protetores auriculares
  • Como funciona o dispositivo
  • Quais as vantagens do seu uso
  • Cuidados ao usar protetor auricular
  • Possíveis complicações para a saúde
  • Quando buscar ajuda médica

O que é protetor auricular

O protetor auricular é um dispositivo que serve para proteger os ouvidos de ruídos intensos, dessa forma, é amplamente utilizado por trabalhadores em diferentes áreas de atuação. Nesse sentido, é considerado um EPI.

A sigla significa equipamento de proteção individual, obrigatório em locais de trabalho onde os sons extrapolam o nível de ruído seguro para a saúde auditiva. Além disso, o uso do protetor auricular está previsto na norma regulamentadora número 6.

Na lei, ele é conceituado da seguinte forma: todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

Vale acrescentar que a proteção que esse dispositivo oferece aos ouvidos acontece por meio da redução do nível de barulho que os ouvidos recebem. Por consequência, proporciona um menor risco da ocorrência de danos à saúde do trabalhador.

E mais, como se trata de um EPI, assim como os demais dispositivos se segurança de uso no trabalho, é preciso que o protetor auricular contenha certificado de aprovação. Se o dispositivo não tiver essa garantia, de que é um produto eficaz, não pode ser comercializado.

Da mesma forma, para os trabalhadores começarem a usar o protetor auricular, é necessário que o empregador promova um treinamento.

Tipos de protetores auriculares

Hoje em dia, existem dois tipos de protetores auriculares disponíveis no mercado. Eles podem ser por inserção ou concha (também chamado de abafador). Os dispositivos que funcionam por inserção podem ser de três modelos diferentes. Veja quais são eles:

  • Silicone ou plugue

É o protetor auricular de inserção mais comum, por ser duradouro, desde que haja o seu correto armazenamento e limpeza. Feito totalmente de silicone, pode ser lavado, portanto, bem higienizado. É encontrado em diferentes cores.

  • Espuma

Também de inserção, é moldável, devido ao seu material, podendo se adaptar melhor ao ouvido. Com formato de cone, conta com base plana e topo arredondado, assim é considerado o modelo mais confortável.

O ponto negativo deste formato é o fato de ele ser descartável, o que significa que é usado normalmente por visitantes em lugares ruidosos ou durante inspeções, bem como sua utilização deve ocorrer somente por um pequeno período. Além disso, a sua proteção não é tão eficiente quanto nos demais modelos.

  • Polímero

Menos comum, esse tipo de protetor auricular de inserção é pré-moldado e fabricado em copolímero. Desse modo, se adapta muito bem ao canal auditivo, além de contar com bom custo benefício e ser bastante eficiente.
Quanto ao tipo abafador, saiba mais a seguir:

  • Concha

O seu nome é decorrente do formato que possui, envolvendo e protegendo os ouvidos. É feito em material plástico e recebe bordas almofadadas com espuma. Com isso, além de muito confortável, o seu arco tensor com ajuste oferece alta resistência.

Porém, nem sempre pode ser aplicável, como, por exemplo, quando o trabalhador deve utilizar ainda óculos e outros EPIs.

Vale dizer também que cada modelo oferece um nível de redução de ruído, conforme informação que é verificada no certificado de aprovação do produto. A escolha do melhor protetor também varia de acordo com o nível de ruído a que se está submetido e atividade desempenhada.

Como funciona o dispositivo

Os protetores auriculares funcionam por meio da atenuação dos níveis de ruídos que chegam até os ouvidos dos seus usuários. Como já dito, eles são obrigatórios em ambientes de trabalho onde os sons emitidos estejam acima do limite de tolerância que a norma determina.

Dessa maneira, o protetor auricular consegue reduzir possíveis desconfortos acústicos aos quais o trabalhador possa vir a ser submetido. Também tem a função de proteger os ouvidos do frio, da chuva e dos ventos fortes, o que pode ser um problema conforme a tarefa desempenhada.

É importante dizer ainda que o protetor auricular não é usado apenas em lugares onde é obrigatório. Qualquer pessoa que sinta a necessidade de proteger os seus ouvidos de sons altos pode fazer uso do dispositivo.

É o caso de músicos e atletas de esportes variados, inclusive, dos que estão envolvidos em atividades aquáticas. Afinal, como já mencionado, o protetor auricular não protege somente dos sons altos, embora esse seja o seu principal uso, mas também de demais agentes.

Mesmo de caráter obrigatório, em diversos setores da economia, inclusive, na indústria, a verdade é que muitos trabalhadores deixam de usar os protetores auriculares. Isso acontece porque muitas pessoas afirmam que o seu uso é desconfortável.

Outro dizem ainda que o dispositivo não é eficiente. No entanto, muitas vezes, isso pode acontecer justamente porque as pessoas não estão usando o dispositivo de forma adequada ou até porque o empregador não forneceu o tipo correto de protetor auricular.

Quais as vantagens do seu uso

Uma vez que algumas pessoas se recusam a usar o dispositivo, é necessário lembrar que, em algumas empresas, o funcionário deve assinar um termo de responsabilidade assumindo os riscos. Isso é feito porque, se o trabalhador sofrer algum dano a sua saúde ou mesmo se machucar devido à falta do uso do EPI, ele não terá direito a indenizações e outros benefícios que os empregados formalmente contratados possuem nessas circunstâncias.

Portanto, é de fundamental importância que as pessoas entendam quais são as vantagens dos protetores auriculares. Nesse sentido, é preciso saber que o ouvido está localizado em uma região bastante sensível, uma vez que está exposto a diferentes tipos de riscos.

É no local de trabalho aonde os ruídos podem ser significativamente mais altos e serem emitidos de modo permanente. Por isso, existem regulamentações a respeito dos limites de tolerância.

Cuidados ao usar protetor auricular

Vale ressaltar que, muitas vezes, a pessoa que usa o protetor auricular sente desconforto não pela anatomia do protetor em si, mas porque está utilizando o dispositivo de maneira incorreta. Além do cuidado em usá-lo com bom encaixe é importante estar atento a outros aspectos.

Entre esses cuidados, está o da higienização adequada, bem como o seu armazenamento correto. Nesse sentido, é necessário que o protetor seja usado apenas no local de trabalho.

Isso quer dizer que o usuário não deve sair na rua com ele, a fim de evitar a sua contaminação. Da mesma forma, não deve misturar o dispositivo à roupa suja, depois do trabalho, por exemplo.

Já na hora de tirá-lo ou colocá-lo do ouvido, as mãos devem estar limpas e é recomendado usar o plugue no mesmo ouvido, ou seja, não trocar de posição.

Além disso, como os usuários do protetor auricular devem realizar um treinamento antes de iniciar o seu uso, é essencial que todas as demais recomendações sejam seguidas. Existem ainda alguns cuidados específicos conforme o tipo de protetor auricular.

  • Protetor auricular tipo plugue

Para evitar que os plugues sejam colocados no ouvido errado, caso ambos tenham a mesma cor, recomenda-se que na corda de um dos lados seja dado um pequeno nó para identificá-lo. Isso é importante para que a inflamação de um ouvido, caso ocorra, não vá para o outro.

É apropriado que o dispositivo seja lavado com sabão neutro, seque na sombra (a exposição ao sol pode ressecá-lo) e seja guardado em local fechado, para não ter contato com insetos. E claro, nunca o use se estiver sujo, nem mesmo empoeirado.

  • Protetor auricular tipo concha

Para esse tipo de protetor auricular, as recomendações são a de ajustar a altura da concha à altura da orelha. Assim, os abafadores conseguem cobrir de forma completa o ouvido e se tornarem mais eficientes.

Outro cuidado é não deixar fios de cabelo soltos entre a orelha e o abafador. Além disso, a sua haste deve ser usada na posição vertical, uma vez que na horizontal ela perde o seu poder de pressão, sendo que se ficar folgada o ruído pode passar.

Indica-se que brincos não sejam usados com esse tipo de protetor, pois eles reduzem a sua eficiência. Já para a sua limpeza, recomenda-se utilizar um pano molhado e sabão neutro, evitando que o dispositivo seja mergulhado na água.

Após limpá-lo, ele deve secar à sombra naturalmente. Para ambos os modelos, vale ressaltar que o seu uso é individual, ou seja, cada trabalhador deve ter o seu próprio EPI.

Possíveis complicações para a saúde

É de conhecimento da medicina que a exposição de modo frequente a ruídos de alta intensidade podem levar a diferentes problemas. Entre eles é possível citar alterações temporárias, como o chamado zumbido nos ouvidos.

Nesse caso, o sintoma pode desaparecer depois de alguns minutos ou com o afastamento do equipamento que provoca o ruído. No entanto, esse tipo de situação, quando ocorre de maneira repetida, pode causar até mesmo a perda permanente da audição.

Além disso, existe o agravante de que a perda da audição é gradativa. Isso faz com que, na maioria dos casos, o trabalhador apenas se dê por conta do que está acontecendo quando o problema já está em um nível avançado.

Porém, se a perda auditiva for diagnosticada com antecedência, é possível evitar que o quadro se agrave. Então, é importante saber que os primeiros sinais de problemas na audição são as dificuldades em ouvir os sons agudos.

Exemplos são apitos, toques de telefones e campainhas. Em geral, só depois deste estágio o indivíduo com perda auditiva começa a não ouvir com clareza a voz das pessoas.

Quando buscar ajuda médica

Além de usar os EPIs recomendados de acordo com a função profissional que você desempenha, é fundamental que sejam realizados os exames médicos periódicos. Em geral, as consultas e exames são agendados pela própria empresa.

Porém, mesmo quem usa o protetor auricular e se submete adequadamente aos exames periódicos pode e deve buscar ajuda médica se perceber que pode estar com algum problema. Afinal, a exposição a altos ruídos no trabalho não é a única causa da perda auditiva.

Os exemplos são muitos, como algumas doenças e hábitos o dia a dia. Da mesma forma, qualquer pessoa que ache necessário pode usar os protetores auriculares, mesmo que na sua profissão não haja a exigência.

E de modo semelhante, também deve buscar ajuda quando perceber que algo está errado. Para tanto, é preciso se consultar com um médico especialista, como o otorrinolaringologista. É esse profissional que pode diagnosticar a perda auditiva, mesmo quando estiver no início.

Em caso positivo, inicia-se o uso de um aparelho auditivo. Para fazer a melhor escolha, é importante consultar um fonoaudiólogo e buscar uma empresa especializada na venda desses dispositivos.



Mais de Centro Auditivo Viver